IVA VAN FRAGA

Acupuntura médica, uma história de amor

IVA TEREZA VAN FRAGA      quarta-feira, 6 de abril de 2016

Compartilhe esta página com seus amigos

A acupuntura foi reconhecida como  especialidade médica desde 1996.

Alguns pacientes perguntam qual a formação de um médico acupunturista e questionam porque eu escolhi a acupuntura.

Um médico acupunturista deve fazer uma Faculdade de medicina, o curso mais longo do país, seis anos de faculdade, forma- se como clínico geral, profissional capaz de identificar doenças gerais, solicitar exames pertinentes e prescrever medicação.

Após graduação e com CRM na mão, ele entra para uma residência de acupuntura, USP ou UNIFESP, ou faz a pós graduação em acupuntura por alguma entidade médica reconhecida pelo Colégio Médico Brasileiro de acupuntura e pela Sociedade Médica Brasileira de Acupuntura.

Após dois anos e meio de pós graduação ou residência (2 anos), com aulas práticas e teóricas, o médico acupunturista presta uma prova de título de especialista pela Sociedade Médica Brasileira de Acupuntura, prova prática, teórica e oral.

Meu primeiro contato com a acupuntura foi antes do Vestibular para Medicina, demorei a passar, embora vivesse para estudar. Sofria de insônia, dor de barriga, medo...

Fiz tratamento por acupuntura e com auriculo e me transformei.

Entrei para faculdade de medicina querendo ser psiquiatra, mas saí cada vez mais certa de fazer acupuntura, embora tenha passado na residência de Medicina Nuclear.

A acupuntura me deu leveza, queria conseguir fazer isso também. Os pontos na orelha, clareza mental, tranquilidade, sono de qualidade e sossego. 

Abandonei a residência de Medicina Nuclear porque queria me dedicar  totalmente, então, passei no mestrado de fisiologia e farmacologia da UFMG, no NNC, o núcleo de neurociências da UFMG/ICB, o tônico para minha auto estima e o portal para conhecer os atalhos e acessar aos melhores artigos cientificos do mundo, e claro, eu devorava os de acupuntura, que comprovavam sua eficácia.

Muitos colegas falavam mal, debochavam, mas quando a vontade é maior que você, as coisas acontecem e os resultados são inevitáveis.

É a senhora com a artrose que nada melhora a dor e não pode tomar anti inflamatório e melhora com algumas sessões de acupuntura.

A insônia do outro paciente que tira férias.

A tensão pré menstrual que alivia.

"Doutora, precisa fazer toda semana?"

"Doutora, pode fazer todo dia?"

Depende, cada caso é um caso...

"Doutora, tem que acreditar ?"

Não, acupuntura não é prática religiosa, é neurofisiologia.

Isso, é só um resumo da minha história de amor, espero poder compartilhar e gerar muitos frutos positivos, na vida de cada paciente que eu encontar pelo caminho.

 

 

 

Comentários